Let it be †

Let it be †
All Mota
Todos os textos escritos neste blogue são escritos pela autora, caso contrário estão devidamente identificados. Agora sobre mim? Bem, sou portuguesa, tenho uma irmã gémea, tudo o que aqui escrevo tem um motivo, uma razão e um porquê e em cada um é diferente, tenho um auto controlo de nível médio, mas em termos de confiança supero-me, tenho gostos e desgostos como toda a gente e de cada erro que cometo levo de cada um uma aprendizagem, sou uma pessoa calma, mas também tenho os meus momentos de loucura e também me torno bastante impaciente quando tem que ser. Sou altruísta e detesto-me por isso, defendo que nem todos os irmãos têm de ser de sangue, e como sempre quis ter um irmão da minha idade e outro mais velho tornei o meu desejo realidade. Adoro estar nos braços de um rapaz, mas tudo tem um fim e tudo acaba bem, e se não acabou bem, é porque ainda não chegou ao fim. xo-xo

† facebook † tumblr † seguir-me
02.2011 03.2011 04.2011 05.2011 06.2011 07.2011 08.2011 09.2011 10.2011 11.2011 12.2011 01.2012 03.2012 04.2012 05.2012 07.2012 11.2012 02.2013
layout : drivefaraway
icon : violetbirdy
rímel, batôm, lápis e verniz
Saturday, April 7, 2012 @ 10:33 PM | comment (20)




Tantas vezes me disseram que sentir falta é o mesmo que sentir saudade, mas não é. "A saudade bate, agonia, estremece. A falta congela, chora, entristece. A saudade é a certeza de que a pessoa vai voltar. A falta é o querer ter de volta, mas saber que não vai ter." Sei que é estúpido, talvez até burrice, mas sinto falta de certos momentos, certas pessoas na minha vida e gostava que o tempo voltasse a colocar-me de novo nesses momentos e do lado dessas pessoas. É verdade que tive momentos maus, mas também tive bons, não foram perfeitos nem precisavam, foram inesquecíveis, com certas pessoas amei demais, valorizei demais, iludi-me demais, decepcionei-me demais, exagerei, e essas mesmas pessoas nem sequer sentiram o mínimo por mim, isso entristece-me, entristece-me vê-las perderem alguém que lhes deu tanto e saber que a personalidade delas não lhes permite sequer reparar nisso. Acho incrível como há pessoas com o dom de magoar, outras com o dom de brincar com os sentimentos e outras até mesmo com o dom de nos fazer mudar. Há pessoas idiotas e por incrível que pareça que são aquelas que mais dificilmente esquecemos, parece que fazem questão de estarem sempre presentes no nosso pensamento. Não procuro ser vadia, muito menos santa, procuro ser inesquecível. (Julgo-me corajosa, mas tenho medo)


ps: vou mudar o nome do blogue, desculpem, mas já não fazia sentido continuar com o nome que tinha, por isso espero que gostem, caso contrário, por favor digam, estou de "ouvidos". ainda não está decidido que é o que esta actualmente, pode sofrer mudanças, ah e propostas vossas não? 
xoxo, all mota.



Older Posts & Newer Posts