Let it be †

Let it be †
All Mota
Todos os textos escritos neste blogue são escritos pela autora, caso contrário estão devidamente identificados. Agora sobre mim? Bem, sou portuguesa, tenho uma irmã gémea, tudo o que aqui escrevo tem um motivo, uma razão e um porquê e em cada um é diferente, tenho um auto controlo de nível médio, mas em termos de confiança supero-me, tenho gostos e desgostos como toda a gente e de cada erro que cometo levo de cada um uma aprendizagem, sou uma pessoa calma, mas também tenho os meus momentos de loucura e também me torno bastante impaciente quando tem que ser. Sou altruísta e detesto-me por isso, defendo que nem todos os irmãos têm de ser de sangue, e como sempre quis ter um irmão da minha idade e outro mais velho tornei o meu desejo realidade. Adoro estar nos braços de um rapaz, mas tudo tem um fim e tudo acaba bem, e se não acabou bem, é porque ainda não chegou ao fim. xo-xo

† facebook † tumblr † seguir-me
02.2011 03.2011 04.2011 05.2011 06.2011 07.2011 08.2011 09.2011 10.2011 11.2011 12.2011 01.2012 03.2012 04.2012 05.2012 07.2012 11.2012 02.2013
layout : drivefaraway
icon : violetbirdy
before I was missing him , now I have his love (part two)
Tuesday, December 6, 2011 @ 10:44 PM | comment (55)


(...) Os dias passam e o próximo encontro está cada vez menos longe de acontecer, e enquanto isso o sentimento e a saudade crescem, crescem a todo o momento. A fragilidade dela deixa-a de rastos, mas ele? ele torna-a mais forte do que o habitual, o que é que ele lhe fez? Tornou-a numa rapariga feliz. Na noite fria ela só o desejava ao seu lado, na mesma cama, para a abraçar. Ele é o reflexo dela, identificam-se em (quase) tudo, apesar de personalidades opostas, e isso motiva-os a chegar mais longe e a continuar a relação. A distância é pouca, visto que moram na mesma cidade, mas parece impossível de alcançar. Ela levanta-se da cama e dirige-se à janela com a esperança de o ver à porta da sua casa para a vir buscar, ele não está lá, ela suspira, embaciando o vidro e aí desenha um coração que fica lá marcado, voltando para a cama. O telemóvel dela toca, é uma mensagem dele «Deitado na cama, sozinho no escuro, sussurro "eu amo-te"», ela sorriu para o telemóvel e respondeu. Estava na hora de ir dormir para ambos, já se fazia tarde para os dois. (...)
continua,
all mota.

Labels: ,




Older Posts & Newer Posts